sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Prefeitura e Polícia Militar realizam formatura do Proerd para mais de mil estudantes

                                           Prefeitura e Polícia Militar realizam formatura do Proerd para mais de mil estudantesA Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), e o Governo do Maranhão, por meio da Polícia Militar, concluíram esta semana a formação de 1381 estudantes no Programa Educacional de Resistência às Drogas e à violência (Proerd). A solenidade de conclusão de curso foi realizada no ginásio Castelinho e reuniu, além dos formandos e suas famílias, professores, gestores escolares, instrutores do programa e policiais militares.
Participaram desta edição do Proerd 46 turmas de 5º ano da rede municipal de ensino, distribuídas em vinte escolas da zona rural. As aulas do programa iniciaram em maio deste ano e contaram também com a parceria do Consórcio de Alumínio do Maranhão (Alumar), que adquiriram uma viatura especialmente para as atividades do programa.
As aulas foram ministradas ao longo de dez semanas por policiais militares capacitados. Além do material didático do Proerd, o programa incluiu reuniões com as famílias, rodas de conversa, debates e a produção de textos feitos pelos estudantes. Os estudantes das melhores redações receberam uma medalha de honra e os três melhores textos foram lidos pelos estudantes durante o evento de formatura.
 Presente à solenidade, o secretário municipal de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, destacou a importância do programa, que se integra à política do prefeito Edivaldo para as áreas de educação, segurança e cidadania, prevenindo-as do uso de drogas e de situações de violência. "A parceria da Polícia Militar neste belíssimo programa vem complementar um trabalho já realizado por nossos professores: o de blindar as nossas crianças contra o mundo das drogas e da violência, capacitando-as para que saibam dizer não", disse o secretário de Educação.
FAMÍLIAS
O Proerd tem o objetivo de capacitar as crianças e adolescentes para tomar decisões à frente de situações que envolvam drogas ou violência. Para isso, o programa parte da concepção de que a integração entre a família e a escola e o empoderamento dos estudantes com informações são as principais formas de resistir. Para o sargento Edson Augusto Lima Pinheiro, instrutor há cinco anos de turmas do Proerd, o programa representa o compromisso do poder público de chegar na vida das crianças e adolescentes antes das drogas e da violência.
"Falamos sobre a pressão dos colegas, que nessa idade pode ser muito forte e buscamos criar uma cultura de paz nas escolas por onde passamos. O objetivo é dar informação e argumentos suficientes para que esses jovens cresçam sabendo dizer não. É um trabalho que vale muito a pena, porque observamos que no decorrer das semanas eles mudam a visão de mundo não só sobre os temas que trabalhamos, mas sobre o próprio trabalho da polícia", explicou o sargento.
As atividades de produção textual foram as preferidas da estudante Darllen Ramos Lima, do 5º ano da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Evandro Bessa – Estiva.
"A gente aprendeu a lidar com as drogas, tivemos reunião, fizemos redação. A minha parte preferida foi a hora de fazer o texto, escrevi sobre como o programa nos prevenia e alertava dos prejuízos das drogas e de como elas podem ser uma influência ruim na nossa vida", recordou a estudante, enumerando o aprendizado recebido.
As famílias dos estudantes envolvidos também aprovaram o programa. Diana Ribeiro Gomes é auxiliar de escritório e mãe de Melissa Ribeiro Gomes, do 5º ano da U.E.B. Santo Antonio. Cheia de orgulho, ela falou sobre a redação da filha. "Vi a redação dela e fiquei orgulhosa demais. Vi que o Proerd complementou a orientação que já damos", lembrou a mãe.
A cozinheira Marlídia Pereira, mãe de Júlio César Pereira, também do 5º ano da U.E.B. Santo Antônio, foi outra que comemorou. "Ele está até mais obediente. Sinto que ele anda mais calmo e começou a respeitar mais os pais", afirmou.
SAIBA MAIS
O Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência é a adaptação brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistence Education (Dare), surgido em 1983. Em inglês, a palavra "Dare" significa "Ousar". No Brasil, o programa foi implantado em 1992 pela Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e hoje é adotado em todo o Brasil.
Na rede municipal, o foco são estudantes do 5º ano do Ensino Fundamental. Também estavam presentes à solenidade de formatura o secretário Breno Galdino (Segurança com Cidadania), que no evento representou o prefeito Edivaldo; o coordenador estadual do Proerd no Maranhão, tenente-coronel José de Ribamar Pereira da Silva Filho; e a gerente de sistemas e relações institucionais da Alumar, Dulcimar Melo Soares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz