quinta-feira, 30 de julho de 2015

Vereadores de Açailândia são investigados por recebimento de propina

Anselmo Rocha é apontado como lobista do esquema
Anselmo Rocha é apontado como lobista do esquema
Antes de falecer, Adriano Sousa da Rocha delatou um forte esquema de propina na cidade Açailândia, para a promotora de justiça titular da 1ª Promotoria do município. Adriano era sobrinho do atual presidente da Câmara Municipal de Açailândia, Anselmo Rocha, apontado como lobista do esquema.
A investigação ocorre em sigilo, mas informações dão conta de que 10 dos 17 vereadores que fazem parte do Legislativo Municipal de Açailândia estão sendo investigados por receber propina para aprovar projetos de lei. Vários deles já foram ouvidos pela promotora de justiça Glauce Mara Malheiros.
Uma das denúncias é de que a empresa Aciaria Aço Verde Brasil, de propriedade do Sr. Ricardo Nascimento, investiu R$ 700 milhões para ter uma sede no município e foi pago propina para os vereadores aprovarem o projeto que previa sua instalação e a isenção de impostos. O que não aconteceu neste primeiro semestre de 2015.
Outra empresa que aparece no esquema é a Meca Móvel Construções, que seria do então vice-prefeito de Açailândia, Juscelino Oliveira (PP). Quando ainda estava vivo, Adriano disse em seu depoimento que e Meca Móvel Construções teria recebido o valor de R$ 50.000,00 mil da Aciaria Aço Verde e depois teria distribuído dez cheques no valor de R$ 5.000,00 mil aos dez vereadores, para aprovação de um projeto de lei que havia sido negociado com o empresário mineiro Ricardo Nascimento.
Diomar Freire, Pastor Vagnaldo, Márcio Aníbal, Carlinhos do Fórum, Fátima Camelo, Fabio Pereira, Bento Camarão, Professor Pedro, Sergiomar de Assis e Anselmo Rocha são os vereadores citados no esquema.
A denúncia dos recebimentos de propina foi feita pela prefeita eleita do município , Gleide Lima Santo (PMDB), durante uma entrevista coletiva em março deste ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz