quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Deputado Zé Inácio celebra aniversário de 35 anos de fundação do PT


O deputado Zé Inácio (PT) destacou, na sessão desta terça-feira (10), a passagem do aniversário de 35 anos da fundação do Partido dos Trabalhadores. Ele lembrou que, no dia 10 de fevereiro de 1980, o PT nasceu marcando o início de uma nova fase na história política do Brasil.

“Temos o orgulho de ter entre os primeiros signatários do Manifesto de Lançamento do PT o líder camponês do Maranhão, Manoel da Conceição, dentre um dos seus fundadores, assim como Mário Pedrosa, Sérgio Buarque de Holanda, Lélia Bramo e Paulo Freire, além do Luís Inácio Lula da Silva e outros valorosos companheiros e companheiras”, discursou Zé Inácio.

Ele frisou que o PT nasceu das lutas dos movimentos sociais, sindicais, intelectuais, artistas e de setores progressistas da Igreja Católica. “Assim como em todo país, aqui no Maranhão, o PT surge em 1980, no contexto das lutas contra a exploração do capitalismo e do latifúndio, contra a violência no campo, em defesa da moradia digna e de melhores condições de vida para o povo do Maranhão”.

Zé Inácio, ao fazer referência aos 35 anos do PT, fez questão de ler na tribuna um dos trechos do seu Manifesto de Fundação: “O Partido dos Trabalhadores surge da necessidade sentida por milhões de brasileiros de intervir na vida social e política do país para transformá-la”.

O deputado lembrou também que o Maranhão e São Paulo foram os primeiros estados do Brasil a elegerem prefeituras administradas pelo PT em 1982. “Cito aqui, do Maranhão, Santa Quitéria, município do Baixo Parnaíba, e Diadema em São Paulo. Também dos oito deputados federais eleitos em 1982, um era do Maranhão, o deputado Freitas Diniz. Nesse período, o PT começou a dar passos importantes em defesa de uma sociedade justa e da luta pela melhoria das condições do povo brasileiro”, afirmou Zé Inácio.

Depois de acentuar que o PT surgiu do enfrentamento contra a Ditadura Militar, Zé Inácio assinalou que o Partido dos Trabalhadores apostou na via democrática e inovou ao combinar a ação no Parlamento com a mobilização de rua. Nos governos, o PT criou o Orçamento Participativo e inovou com o modo petista de governar, que tem como diretrizes a ética, a inversão de prioridades e a transparência.

Para Zé Inácio, outra inovação do PT foi eleger um operário e nordestino para governar o Brasil: Luiz Inácio Lula da Silva. “O nosso partido inovou também ao eleger a primeira mulher a comandar a nação brasileira, a presidenta Dilma Rousseff. Mas tudo isto tem um preço, e é por isso que enfrentamos ataques permanentes e pagamos um preço muito alto, pois, como disse o nosso presidente Rui Falcão, um partido que nasceu com a missão de transformar não terá trégua. No entanto, por mais dura que seja a batalha, eles não tirarão o brilho da nossa estrela e orgulho da nossa militância. O PT disputou quatro eleições presidenciais para poder alcançar a vitória em 2002, mas antes de sermos governo central, soubemos ser oposição sem chegar ao extremo e à negação do projeto em vigor”.

O deputado Zé Inácio frisou ainda que o PT governa o Brasil há 12 anos, “com erros e acertos, mas certamente pagamos mais pelos nossos acertos do que pelos nossos erros. E o nosso maior acerto foi acabar com a fome em nosso país e incluir mais de 36 milhões de pessoas que viviam na pobreza e na classe média”.

Na avaliação de Zé Inácio, as últimas eleições presidenciais de 2014 foram uma das duras batalhas travadas pelo PT e, após esta última eleição, o PT enfrentou várias tentativas antidemocráticas para impedir a presidenta Dilma de governar, desde o pedido de recontagem de votos até a tentativa de não aprovação das suas contas de campanha.

“Além disso”, acrescentou Zé Inácio, “os desagregadores têm disseminado o ódio e têm feito várias tentativas de criminalizar o PT. Mas o discurso do ódio e da intolerância não pode prevalecer em meio ao ambiente democrático. A disputa política tem que ser feita em torno de propostas e os nossos adversários precisam entender que o povo brasileiro optou pelo projeto do desenvolvimento nacional e não pelo projeto antinacional que exclui milhões de pessoas neste país. De nada adianta só atacar o PT e a sua direção e desconsiderar o prejuízo que está sendo causado à nação com a tentativa de setores da oposição em desestabilizar o governo”.

Ao concluir seu discurso, o deputado Zé Inácio reafirmou sua solidariedade à direção nacional do PT, “que tem enfrentado de forma combativa aos ataques de setores reacionários contra o PT, e à direção do nosso partido aqui no Maranhão, na pessoa do nosso Presidente Raimundo Monteiro, aos demais dirigentes, aos demais militantes de bases espalhadas nos diversos municípios e regiões do nosso Estado”.

Por fim, Zé Inácio reafirmou seus agradecimentos “àqueles que apoiaram o meu nome para representá-los neste Parlamento, pois tenho certeza que apostaram também no nosso partido como instrumento de luta e de transformação social e política”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz