quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Matões: prefeitura garante que faz “revolução” na educação do município


Numa espécie de ofensiva contra as denúncias, inclusive de repercussão nacional, sobre situação precária que estaria o sistema educacional de Matões, a prefeitura distribuiu release à imprensa garantindo que a cidade vive uma “revolução na educação municipal”.
Segundo informações oficiais, essa “revolução” vão desde a forma de tratar a educação em sala de aula, até a estrutura física das unidades educacionais.
“A prefeita Suely Pereira, em seu segundo mandato à frente do município, realizou obras jamais vistas na cidade, utilizando recursos próprios da prefeitura e com a ajuda do governo federal, nas obras de construção, reformas e ampliação de novas escolas. Hoje, em todo o município de Matões, existe um total de 59 unidades educacionais em pleno funcionamento, onde dezenove delas foram construídas do zero e quarenta reformadas e ampliadas, aumentando para 196 o número de salas de aulas que atendem toda a demanda educacional do município”, diz trecho da nota da Secom/Matões.
Suely Pereira: prefeita garante que Matões passa por uma "revolução" na educação.
Suely Pereira: prefeita garante que Matões passa por uma “revolução” na educação.
No início desta semana, o programa CQC, da Band, levou o quadro “Proteste Já” até Matões e mostrou que escolas da zona rural encontram-se em situação indigna para o aprendizado das crianças (reveja).
O próprio Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Matões (Sintraed) tem mostrado que o setor não é essa “Coca-Cola” toda que a gestão da prefeita Suely Pereira (PSB) tenta mostrar, inclusive havendo aplicação irregular de recursos oriundos do Fundeb (reveja).
A Prefeitura de Matões chegou a divulgar nota de esclarecimento sobre estrutura educacional do município.
Na nota, a prefeitura afirma que quando tomou posse em 2009, “a prefeita Suely Pereira encontrou apenas 29 escolas construídas e mais 22 funcionando em barracões de palha, totalizando um número de 51 escolas. Hoje, a realidade é outra”.
Quanto à matéria do CQC, exibida nesta semana, a nota da prefeitura informou que “a sala de aula mostrada do povoado “Cabeceira”, na antiga escola “Raimundo Leal” já não funciona desde o início do ano letivo de 2014, os alunos que ali estudavam tiveram vagas garantidas na escola “Manoel Boaventura de Araújo” no povoado “Laranjeira” que fica a menos de 6km de suas casas. Ressalte-se que existe o transporte escolar (ônibus) para o traslado das crianças”.
Em breve, o Blog do Lobato publicará uma entrevista com o presidente do Sintraed, Carlos Vagno, que deverá apontar o pontos fracos e fortes da gestão Suely Pereira na área da educação.
Fiquem com a íntegra do release da Prefeitura de Matões, além de um vídeo institucional intitulado “A realidade na Educação de Matões”:
Prefeitura de Matões faz verdadeira revolução na educação do município
Nos últimos seis anos, a cidade de Matões, localizada a 473 km de São Luís, sofreu uma revolução na educação municipal. As principais transformações vão desde a forma de tratar a educação em sala de aula, até a estrutura física das unidades educacionais. A prefeita Suely Pereira, em seu segundo mandato à frente do município, realizou obras jamais vistas na cidade, utilizando recursos próprios da prefeitura e com a ajuda do governo federal, nas obras de construção, reformas e ampliação de novas escolas. Hoje, em todo o município de Matões, existe um total de 59 unidades educacionais em pleno funcionamento, onde dezenove delas foram construídas do zero e quarenta reformadas e ampliadas, aumentando para 196 o número de salas de aulas que atendem toda a demanda educacional do município.
Aliado a essas melhorias, a prefeitura realizou também a construção de três grandes ginásios poliesportivos dentro da sede, além de garantir o transporte escolar de qualidade, que conta com 43 rotas que cobre todo o município, onde cada ônibus atende uma região em todos os turnos e sempre acompanhado de um a dois monitores, beneficiando 100% da rede pública de ensino.
A construção de escolas em regiões estratégicas do município eliminou de uma vez o uso de barracões (casas de palhas), dando fim as situações degradantes que as crianças passavam para assistir aula e receber educação.
Na escola São Francisco, no povoado Tamburiu, crianças de oito povoados vizinhos deixaram de estudar em barracões e passaram a assistir aulas na escola nova, construída pela prefeitura de Matões.
Atualmente, os estudantes de Matões dispõem de conforto no ambiente escolar, com a aquisição de carteiras novas, salas padronizadas para práticas de leitura, informática, além do espaço físico para recreação.
Em algumas escolas, todas as salas são climatizadas, como a Unidade de Ensino Pedro Barba,localizada no povoado Mandacaru, na zona rural, que também já conta com o ensino em tempo integral e a escola Rodrigo de Oliveira, situada na sede, que também oferece esse conforto aos alunos.
As melhorias chegaram nos povoados mais distantes do centro do município, como é o caso da unidade de ensino Carmosina Coutinho, no povoado Marajá, a 105 km da sede, que já conta com banheiros adaptados para portadores de necessidades especiais. Essa escola, além de atender as crianças daquela região, recebe estudantes do município vizinho de Parnarama. Já a escola infantil Tia Maria Adriano, é referência nacional em educação infantil e hoje atende mais de 500 crianças do município. 
Para a estudante da 5° série da Escola Carmosina Coutinho, Letícia Assunção, de 10 anos, a Escola ficou muito bonita, proporcionando aos alunos mais qualidade de ensino e na estrutura física. “Gosto de estudar e dou nota dez para minha escola, venho todos os dias e já sei até o que quero ser quando crescer: enfermeira”, revelou a estudante.Por toda essa trajetória, a cidade de Matões hoje é destaque na aplicação de políticas públicas de educação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz