terça-feira, 14 de outubro de 2014

Futura Oposição começa a demarcar espaço na Assembleia Legislativa


Conforme o Blog já destacou, através de levantamento realizado pela Folha (reveja), entre os governadores eleitos no último dia 05 é o governador eleito do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), que possui a menor bancada no parlamento, algo em torno de 13 dos 42 deputados.
No entanto, alguns membros do futuro governo garantem que isso é questão de tempo e já na eleição da nova Mesa Diretora, em fevereiro de 2015, Dino já terá a maioria avassaladora na Assembleia Legislativa.
Alguns dos governistas de 2015 chegam a dizer que a futura Oposição será menor que a atual, que possui algo em torno de onze deputados.
Só que para contrariar essa tese, os eventuais oposicionistas da gestão de Dino vão se reunindo e se organizando, pois entenderam que juntos, mesmo sem um líder para o grupo político ao qual vão estar inseridos, são mais fortes e podem conseguir vitórias diante do futuro governo.
“O nosso grupo político ainda não discutiu nomes e sim num primeiro momento apenas uma tese, que é a de espaços dentro da Casa. Num segundo momento é que poderemos aprofundar as nossas discussões e, aí sim, nos posicionarmos em relação a nomes”, afirmou o atual Líder do Governo, César Pires (DEM), e que é um dos cotados para comandar a Oposição.
O mesmo pensamento tem o deputado Roberto Costa (PMDB), outro cotado para comandar a futura Oposição na Assembleia,
“Acredito que nós temos totais condições de lançar um candidato para disputar a presidência. O que precisa haver dentro do grupo é diálogo e unidade em torno de um nome, que tem de ser bom para todos e defenda os nossos interesses”, afirmou.
A primeira demonstração de organização e união deverá ser a aprovação da PEC do deputado Rogério Cafeteira (PSC), que conforme o Blog antecipou com exclusividade (reveja) quer a extinção do instituto da reeleição para Mesa Diretora dentro da mesma legislatura na Assembleia.
Pelo visto a eleição na Mesa Diretora ainda não são favas contadas com alguns governistas de 2015 acreditam. Pior é que se insistirem nessa tese e com essa estratégia, tendem a deixar o cenário bem parecido com 2010, quando o deputado Ricardo Murad cantou vitória antes do tempo, mas perdeu a eleição.
Inclusive um dos deputados que já conversou pessoalmente com o deputado eleito Humberto Coutinho, favorito para ser o futuro presidente, afirmou ao Blog, “não gostei muito da conversa e se o tom não mudar, se não tiver praticidade nas conversas, isso nós dará oxigênio e estímulo para juntos disputarmos a eleição da Mesa Diretora”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz