domingo, 12 de fevereiro de 2017

Gastão Vieira quer união para fortalecer o PROS no Maranhão visando 2018


O presidente do PROS/MA, Gastão Vieira, presidiu nesta sexta-feira em São Luís, o 1º Encontro de Vereadores e Prefeitos do partido no estado. A reunião foi o primeiro passo para unificar as ações do PROS e fortalecer, ainda mais, o partido no Maranhão. Em 2016 o partido elegeu dois prefeitos, seis vice-prefeitos e 68 vereadores.
O evento reuniu ainda vice-prefeitos, presidentes de Diretórios Regionais do PROS no Maranhão, deputados estaduais e o presidente da Fundação da Ordem Social (FOS), Felipe Espírito Santo. “O Maranhão é o primeiro estado a fazer esse tipo de encontro este ano. E isso é muito importante para o partido, manter o diálogo com os nossos filiados”.
"Vereador e o objetivo do encontro?"

"Teve um nobre desempenho. Na eleição tivemos quase 4% dos votos válidos do Estado. Estamos presentes em cerca de 168 municípios, elegemos 68 (não entendi o que vem depois disso) 9 vice-prefeitos e 2 prefeitos de Parnarama e o prefeito de Marajá. No primeiro encontro o partido tem uma linha ideológica. O partido tem compromisso, tem uma boa educação. Irei mostrar aqui dados que mostrarão a realidade da educação. O governo só quer dar asfalto e os prefeitos só pedem asfalto. Na verdade, daqui há dois anos começa de novo esse ciclo enquanto existem outros problemas que precisam ser enfrentados. Essa é a idéia que teremos com vereadores, ajuda-los à montar projetos, discutir orçamento, fazer uma atividade política que é realmente necessária para o momento que o país está vivendo."

"E sobre o partido?"

"O partido na capital está muito bem. Nós elegemos um vereador. Um dos primeiros suplentes eram nossos, o Paulo Victor, que também assumiu e é uma pessoa muito presente em São Luís. Temos vereadores em Imperatriz. Elegemos três vereadores em Balsas. O meu projeto pessoal será tentar ajustar o problema da reforma eleitoral que discute situações dos deputados federais para poder aumentar bancada do partido. Mas isso é uma questão que iremos discutir, primeiro de que tamanho ela fica e depois sabermos que fatias podemos distribuir por aí.
"Estamos tentando levar essa idéia aos municípios. Com relação à educação é uma idéia positiva.  Ninguém está incentivando briga. Mas existe uma necessidade de uma bandeira. Uma ação, chamar atenção, brigar no orçamento. Colocar mais verba para a educação. Por exemplo: a professora que mais alfabetizar ganha um prêmio. A escola que mais alfabetizar ganha um prêmio. Nós não estamos cuidando dessas coisas."
" A UEMA está criando o que na verdade é uma velha reivindicação mas creio que em termos  de conhecimento e avanço não há nenhuma perspectiva"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz