quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Deputada Nina Melo alerta para risco de epidemia e sugere Plano Estadual de Combate ao Aedes



A deputada Nina Melo (PMDB) subiu à tribuna na sessão desta quarta-feira (2) para alertar o prefeito Edivaldo Holanda Junior (PTC), as autoridades da área de saúde pública e todas as famílias de São Luís para o risco de epidemia de doenças ocasionadas pela picada do mosquito Aedes Aegypti, dentre as quais a Zika vírus, que vem sendo estudada como uma das possíveis causadoras da microcefalia.   
Nina Melo afirmou que tem acompanhado as informações divulgadas na imprensa de todo o país sobre o surto de micrecefalia no Nordeste e participado de palestras e debates acerca do tema.
Segundo ela, São Luís está entre os 200 municípios catalogados pelo Ministério da Saúde em risco de epidemia de doenças como a dengue, Zika, chikungunya e febre amarela.
Em seu discurso, Nina Melo fez uma solicitação: “por tudo isso e por assumir a grande responsabilidade em cuidar das pessoas no Maranhão, como médica e como deputada, é que solicito ao secretário de Saúde, doutor Marcos Pacheco, que adote medidas legais e administrativas para a criação de um Plano Estadual de Combate ao Mosquito Aedes Aegypti”.
Como parte deste Plano Estadual, a deputada sugeriu que sejam convocados os secretários de Saúde dos 217 municípios maranhenses e que seja feito o levantamento dos agentes de saúde e agentes epidemiológicos que atuam no estado, para que, juntos, façam treinamentos e montem uma Força-Tarefa para o cadastramento e acompanhamento dos pacientes infectados pelo mosquito. E, principalmente, que seja feito o acompanhamento de gestantes até o terceiro mês.

A deputada também sugeriu que sejam adotadas providências para distribuição de kits de proteção contra o mosquito às famílias que se encontram em áreas endêmicas e às famílias que tenham gestantes dentro de casa. O kit, segundo a deputada, deverá ser composto de tela de proteção para as portas e janelas, inseticidas, repelentes e mosqueteiros.

Outra sugestão de Nina Melo é que seja feita uma campanha de orientação e conscientização das famílias maranhenses para que toda a população se sinta convidada a participar da destruição do mosquito Aedes Aegypti.

 “Nenhum estado brasileiro, até agora, apresentou tais medidas estratégicas de forma clara. Nós, maranhenses, eu tenho certeza, daremos exemplo de cidadania para o restante do país. A maneira mais barata e eficaz de combater essa epidemia é esta ampla campanha”, declarou a deputada.

Nina Melo destacou os números que comprovam o avanço dos casos de doenças transmitidas pelo mosquito Aedes em todo o país. Segundo ela, em 2014 foram 2.338 casos de pessoas infectadas e em 2015, subiu para 7.113 casos confirmados. “É um número relevante. Realmente, não dá para se falar em epidemia, no Maranhão, mas isso é uma verdade no restante do País. Além disso, a maior incidência da infecção está por vir e se encontra do mês de janeiro a junho, com pico nos meses de abril e maio”, destacou.

Finalizando o discurso, a deputada revelou que o Ministério da Saúde já confirmou, na semana passada, a relação do Zika vírus com a microcefalia. “Novos estudos estão sendo realizados e nós, médicos, aguardamos a confirmação da transmissão desse vírus por via hematogênica, ou seja, pelo sangue e através do sêmen”.

Nina Melo alertou que a sociedade brasileira está diante de um velho conhecido, mas o importante é reconhecer a gravidade dessa doença que, a cada dia, se reinventa e que pode deixar como herança muitas crianças com anomalias congênitas incuráveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz