quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Francisca Primo destaca Marcha das Margaridas ocorrida em Brasília


                                              Francisca Primo destaca Marcha das Margaridas ocorrida em Brasília
A deputada Francisca Primo (PT) destacou na sessão desta quinta-feira (13) a  5ª Marcha das Margaridas que reuniu, em Brasília, nos dias 11 e 12, deste mês,  mais de 70 mil mulheres trabalhadoras rurais de todo o país. 
O ato - que acontece a cada quatro anos – reuniu manifestantes que saíram dos seus lares para reivindicar os seus direitos na Esplanada dos Ministérios. “O nosso estado estava em Brasília com as mulheres trabalhadoras de outros estados, reivindicando por direitos e garantias”, frisou Francisca Primo. 
De acordo com a deputada, este ano a marcha segue com os seguintes eixos: desenvolvimento sustentável; democracia; justiça; autonomia; igualdade e liberdade. As bandeiras levantadas em meio à marcha referem-se ao não ao retrocesso dos direitos; o fim da violência contra as mulheres; a paridade; combate à violência no campo, com mais eficácia e severidade; reforma política; educação não sexista; terra; água e agrologia e o impacto da terceirização.
Na pauta também estão o combate à pobreza; o enfrentamento à violência contra as mulheres; a defesa da soberania alimentar e nutricional e a construção de uma sociedade sem preconceito, sem homofobia e sem intolerância religiosa.
Lei Maria da Penha
Francisca Primo também registrou a comemoração da Lei Maria da Penha, nº 11.340/2006, que no último dia 07, completou nove anos da promulgação.
Ela enfatizou que o dia foi de grande encontro, no qual vários temas foram debatidos em uma audiência pública, ocorrida no Plenarinho da Assembleia Legislativa.  Durante o evento - que contou com a participação de vários órgãos no combate à violência contra a mulher - foram expostas a origem, os avanços e a aplicabilidade da legislação.

Planejamento
Na parte da tarde, Francisca Primo também participou de uma reunião com os representantes da Câmara Técnica e Gestão de Monitoramento, que tem por finalidade planejar, organizar, dirigir, controlar planos, programas, projetos e ações que visam a defesa do direito da mulher. A reunião - organizada pela Secretaria da Mulher do Estado - assegura a plena participação da mulher na vida socioeconômica, política e cultural do Estado, bem como articular com os setores da sociedade civil e órgãos públicos e privados, para o desenvolvimento de ações e campanhas educativas relacionadas às suas atribuições.
“Foram discutidas e apresentadas ações nacionais do Plano de Enfretamento à Violência Contra as Mulheres, ações essas de muita importância que são realizadas diariamente por todo nosso estado”, afirmou Francisca Primo.
Disque-Denúncia
Ela enfatizou, ainda que este plano vem surtindo efeito, prova disso foram os dados divulgados, na última terça-feira, pelo Jornal Hoje, da Rede Globo, ressaltando que a Central de Atendimento à Mulher, Disque Denúncia-180, recebeu, nos últimos seis meses, 364.625 ligações, onde as mulheres reclamavam de algum tipo de violência ou pediam qualquer tipo de ajuda.
Os dados apontam ainda que durante todo o ano passado, foram mais de 400 mil atendimentos. Neste ano, foram 32 mil registros de violência contra a mulher, sendo que a metade desses autos foi sobre a violência física; depois aparece a denúncia de violência psicológica; em seguida, vem a violência moral e, por último, o cárcere privado e a violência sexual.
Finalizando, Francisca Primo registrou mais uma tragédia ocorrida ontem, dia 12, em Pedreiras, onde uma mulher foi morta pelo ex-namorado. “Os números da violência contra as mulheres ainda é muito grande no nosso estado, apesar do trabalho de divulgação da Lei Maria da Penha e do empenho dos órgãos que fazem  a defesa da mulher”, destacou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz