quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Fernando Furtado fala sobre situação dos pescadores no Maranhão


O deputado Fernando Furtado (PCdoB) utilizou a tribuna na sessão plenária desta segunda (03) para rebater acusações publicadas em um blog durante o recesso parlamentar, que fala a respeito de cancelamentos de carteiras de pescadores da água salgada no Maranhão.

De acordo com o parlamentar, quando o blog faz menção sobre esse assunto, ele cita a bancada eleita da Pesca e cita somente o nome do deputado Fernando Furtado, o do deputado Edson Araújo, porém não cita o outro deputado que também foi eleito com o voto dos pescadores.

“E é triste ver que as pessoas, às vezes, fazem comentários, mas não procuram averiguar o que realmente está acontecendo, porque na verdade esses pescadores do litoral eram contemplados com o Seguro da Água Salgada do Camarão, com duas parcelas”, disse Furtado.

O deputado disse ainda, que em determinado momento das eleições, ano passado, resolveram mudar a regra da Portaria.  “E quando resolveram mudar a regra, esqueceram que o período do defeso da água salgada compreende justamente os meses de janeiro e fevereiro, e aí não pode dar o ano de carência quando altera a Portaria e que coloca para a água doce. Quer dizer, fizeram uma Portaria no Ministério do Trabalho, para poder agradar os pescadores do Litoral com quatro parcelas porque viria a eleição logo no outro ano,” denunciou.

Logo após, segundo Fernando Furtado, deixaram a Portaria prescrever e ninguém tomou providências para alterá-la, ou fazer uma nova Portaria. “Agora os pescadores de água salgada estão todos à deriva. Ninguém recebeu o seguro nem do camarão e nem da água doce,” disse.
Furtado falou sobre as reuniões feitas com vários sindicatos na baixada maranhense, discutindo o problema, para encontrar uma solução. “Até o momento, não me abstive e não me escondi dos trabalhadores da pesca e da água salgada do Litoral! Continuo trabalhando e defendendo os meus companheiros”.

Segundo Fernando Furtado não é apenas 24 mil, e sim 35 mil pessoas que estão correndo o risco de terem suas carteiras canceladas. Um técnico do Ministério da Pesca está no Maranhão fazendo uma triagem, um levantamento para descobrir o que foi feito.

“Eu sei que estou aqui pelos votos que me foram dados principalmente pela categoria da pesca e estou aqui defendendo a categoria, agora não posso pagar seguro, eu não posso entregar RGP, porque a nossa federação sindical não é o Ministério do Trabalho. E hoje a Previdência Social, que é quem está encarregada de recepcionar o próximo seguro dos pescadores e pescadoras do nosso Estado,” finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz