segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Dilma, Flávio Dino e Edivaldo entregam casas para mais de 2 mil famílias em São Luís


A presidente Dilma Rousseff, o governador Flávio Dino e o prefeito Edivaldo Holanda Júnior participaram nesta segunda-feira (10) da cerimônia de entrega de casas para 3.020 famílias em São Luís e no município de Caxias. As habitações foram construídas através do programa federal "Minha Casa, Minha Vida". Na capital, foram entregues 2.020 casas nos Residenciais Amendoeira e Santo Antônio, no bairro Maracanã, zona rural.
No ato, também foram entregues simultaneamente, por videoconferência, mil residências em Caxias, no interior do Maranhão; 688 moradias em Campo Grande e outras 759 em Anastácio, ambas no estado de Mato Grosso do Sul, totalizando 4.467 unidades habitacionais. Mais do que casas, os lares garantem dignidade às famílias contempladas e possuem dois quartos, banheiro, cozinha e área de lazer, com quadra, playground e anfiteatro ao ar livre.
"Estamos entregando, hoje, 4.467 moradias, simultaneamente em diversas cidades do país, sendo que em São Luís estamos entregando a maior quantidade de unidades habitacionais. Eu espero que as famílias que vierem morar aqui no Amendoeira e no Santo Antônio transformem o local no bairro mais bonito de São Luís e vivam dignamente com suas famílias", disse a presidente Dilma.
Em ato simbólico, Edivaldo, Flávio Dino e Dilma Rousseff realizaram a entrega das chaves das casas para algumas das famílias contempladas presentes à cerimônia, entre elas, a família da dona de casa Deusuíta Ferreira Silva, que recebeu a chave ao lado dos cinco filhos. Em Caxias, Carla Raniere dos Santos, mãe de três filhos, recebeu a chave da casa das mãos da presidente da Caixa Econômica Federal, Miriam Belchior, e do prefeito Leo Coutinho.
Na cerimônia, a presidente Dilma Rousseff destacou o quantitativo de unidades habitacionais entregues em São Luís e anunciou o lançamento da terceira fase do programa "Minha Casa, Minha Vida", que prevê a construção de mais 3 milhões de unidades habitacionais em todo o país. Nessa etapa do programa, conforme já havia anunciado o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, durante sua visita a São Luís, o Maranhão será beneficiado com 160 mil novas unidades habitacionais em diversos municípios, dentre os quais São Luís está incluído.
O governador Flávio Dino enalteceu a política habitacional do governo federal e destacou as parcerias celebradas com o Estado e Município para proporcionar moradias dignas às famílias maranhenses. "Muito mais que tijolo e cimento, essas casas representam a concretização do grande sonho de ter um lar digno para viver. Uma casa não é feita só de paredes, é feita também de gente, de esperança, de alegria e de fé em dias melhores", disse Flávio Dino.
O prefeito Edivaldo destacou o ato como um momento muito especial para São Luís, por demarcar uma nova etapa na expansão urbanística da cidade e inaugurar uma nova fase na vida de milhares de famílias ludovicenses. O prefeito afirmou, ainda, que o governo federal tem dado um olhar especial à capital maranhense no processo de inclusão dos cidadãos ludovicenses nos programas de grande relevância social, como o "Minha Casa, Minha Vida". Em pouco mais de dois anos de gestão, mais de 8 mil habitações foram entregues em São Luís.
"A presença da presidente Dilma em nossa cidade muito nos honra e nos deixa felizes, pois celebramos aqui o resultado de uma grande parceria entre a Prefeitura de São Luís e o governo federal, nessa missão desafiadora de reduzir o déficit habitacional em nossa capital. Além do mais, constata que estamos cumprindo com celeridade os prazos de construção e entrega das unidades do programa, proporcionando moradia digna e bem-estar a milhares de famílias", disse o prefeito.
Além das mais de 2 mil unidades dos residenciais Amendoeira e Santo Antônio, a Prefeitura de São Luís já entregou outras 6 mil moradias, totalizando cerca de 8 mil habitações, só nos dois primeiros anos da atual gestão. Entre estas estão as 3 mil unidades do Residencial Ribeira, entregue em maio deste ano com 1.592 casas e 1.408 apartamentos, que beneficiaram cerca de 11 mil pessoas.
DIGNIDADE ÀS FAMÍLIAS CONTEMPLADAS
As mais de 2 mil casas entregues em São Luís vão beneficiar aproximadamente 7.500 maranhenses com renda de até R$ 1.600. Cada residencial vai contar ainda com uma creche contratada junto ao governo federal, entre outros equipamentos sociais. Entre os beneficiados está Deusuíta Ferreira Silva, que recebeu a chave ao lado dos cinco filhos, em ato simbólico com o prefeito Edivaldo, o governador Flávio Dino e a presidente Dilma.
Para a marisqueira Maria Rita Araújo, 36 anos, também contemplada durante a cerimônia, a moradia representa um novo começo. "Estou muito feliz. Agora é vida nova. Nós, que morávamos em uma casa cedida por um parente, vamos viver agora debaixo de nosso próprio teto e não tem nada melhor", afirmou.
Em Caxias, Carla Raniere dos Santos, mãe de três filhos, recebeu a chave da casa. Ela é um exemplo da importância social e econômica do programa federal. Além de ter sido sorteada para ser contemplada com uma casa, durante o período de obras ela também foi contratada por uma das construtoras dos residenciais do "Minha Casa, Minha Vida".
Presidenta Dilma, Flávio Dino e Edivaldo inauguram Terminal de Grãos do Maranhão
O Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram) foi inaugurado nesta segunda-feira (10) pela presidenta Dilma Rousseff, ao lado do governador Flávio Dino, do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, do ministro chefe da Secretaria dos Portos da Presidência, Edinho Araújo e da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Kátia Abreu. O Tegram iniciou seu funcionamento em março e já embarcou 1,6 milhão de toneladas de soja para Ásia, Europa e Oriente Médio.
O Tegram é uma das maiores obras de infraestrutura para a exploração da safra brasileira de grãos e beneficia diretamente os produtores do Maranhão, Tocantins, Piauí, Bahia - fronteira agrícola conhecida como Matopiba - e do nordeste do Mato Grosso, sendo alternativa logística aos portos do Sul e Sudeste do país para o escoamento da safra. Com a criação da região de exploração agropecuária do Matopiba, o Porto do Itaqui se destaca no cenário nacional como entreposto para trocas comerciais nacionais e internacionais.
"O Brasil encontrou na nova fronteira agrícola do país, Matopiba, uma das maiores oportunidades de crescimento e desenvolvimento. Com os novos investimentos no Maranhão, através do Porto do Itaqui, o país continuará mostrando o seu potencial e a sua prosperidade", disse a presidenta Dilma.
Na inauguração do Terminal de Grãos, o governador Flávio Dino lembrou que no 1º semestre de 2015, o Porto do Itaqui teve uma produção 1800% maior do que o mesmo período no ano passado. Flávio destacou a dimensão econômica, mas também do desenvolvimento humano que o Tegram e Porto do Itaqui trazem para o Maranhão. "Estamos falando de obras físicas, mas, sobretudo, uma obra humana em que se encontram esperanças e trabalho de pessoas. Nós vemos a dimensão da engenharia, da tecnologia, do crescimento da economia, mas também a dimensão do desenvolvimento humano. Esse é, sem dúvidas, um momento de júbilo e confraternização de todos aqueles que acreditam no nosso estado", afirmou Flávio.
Em apenas quatro meses de operação, o Tegram já embarcou mais de 1,6 milhão de toneladas de soja em mais de 20 navios com destino a alguns dos principais mercados da Europa, Ásia e Oriente Médio, volume maior que a metade do previsto para o primeiro ano de atividade. Nos primeiros meses, o terminal operou com recebimento de cerca de 500 a 530 caminhões por dia, com previsão de aumento da intensidade em curto prazo.
Para o ministro chefe da Secretaria de Portos da Presidência, Edinho Araújo, a entrega do Terminal de Grãos do Maranhão coroa a inauguração do Arco Norte, que consolida a nova fronteira agrícola, conhecida como Matopiba. Segundo o ministro Edinho, a longa viagem entre a lavoura e o porto encarece os produtos agrícolas. A inauguração do novo terminal no Maranhão diminuirá esse trajeto, trazendo ganhos para os produtores rurais e operadores portuários, a um menor custo, gerando maior competitividade.
Administrado pelo consórcio formado pelas empresas NovaAgri, Glencore, CGG Trading, Amaggi e Louis Dreyfus no Porto do Itaqui, o Terminal é um dos grandes novos exportadores do agronegócio brasileiro e situa o Maranhão como ponto logístico estratégico no contexto internacional. Para o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago, o início das atividades do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram) abre fronteiras internacionais, aquece a economia local com obras estruturais, de prestação de serviços no Porto e de geração de novos negócios para o estado.
Na inauguração do Terminal, o prefeito Edivaldo Holanda Júnior ressaltou a importância da obra para o estado e as oportunidades de crescimento que chegam com o novo empreendimento. "Este marco logístico é de extrema importância para o desenvolvimento da economia e melhoria dos indicadores sociais do nosso estado. Estamos diante de uma obra com grande repercussão em toda cadeia produtiva do nosso estado", disse o prefeito.
INVESTIMENTOS FEDERAIS NO PORTO DO ITAQUI
Na inauguração do Tegram, a presidente Dilma aproveitou para conhecer o Porto do Itaqui, que receberá investimentos do Programa de Investimento em Logística entre 2015 e 2018. O Programa licitará o uso de dois berços do Porto do Itaqui com previsão de R$ 509 milhões em investimentos que darão ao Porto a capacidade de movimentar 2 milhões tonelada/ano de celulose e 4,3 milhões de toneladas/ano em graneis minerais.
Os novos investimentos visam melhorar a eficiência e a produtividade, com impacto direto no custo logístico das mercadorias que passam pelo Porto. O Maranhão se torna cada vez mais protagonista no escoamento da safra de uma fronteira agrícola importante e em expansão, são aproximadamente 1,8 mil quilômetros chegando até o estado de Goiás e atendendo principalmente os estados do Maranhão, Pará, Tocantins, Goiás, Mato Grosso e Bahia.
Estiveram presentes na agenda de ações da presidenta Dilma Rousseff em São Luís, o governador Flávio Dino; o ministro chefe da Secretaria de Portos da República, Edinho Araújo; a ministra da Agricultura, Kátia Abreu; o prefeito Edivaldo Holanda Júnior; o governador do Piauí, Wellington Dias; o senador Edison Lobão; o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Humberto Coutinho; os deputados federais Rubens Pereira Junior, Chico Lopes, Jô Moraes, Jandira Feghali, Cléber Verde, Aluísio Mendes, Alberto Filho, Pedro Fernandes, Orlando Silva; o presidente da Empresa Maranhense de Administração Portuária, Ted Lago; o presidente do consórcio do Tegram, Hélcio Gasparini; o ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira; deputados estaduais, secretários, representantes de centrais sindicais, presidentes de órgãos, empresários e trabalhadores do Porto do Itaqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz