sábado, 25 de julho de 2015

Júnior Verde buscará ambulância e escola para Açailândia


O deputado estadual Júnior Verde (PRB) solicitará através de Indicações a ser apresentada na Assembleia Legislativa uma ambulância e a construção de uma sede própria para a escola estadual no povoado Novo Bacabal, em Açailândia. O parlamentar está realizando neste final de semana visitas a municípios do Sul Estado agradecendo o apoio recebido durante a campanha, prestando contas do trabalho realizado nos seis primeiros meses de mandato e recebendo demandas.

Na tarde desta sexta (24), centenas de pescadores de Buriticupu participaram de uma reunião com o parlamentar e apresentaram solicitações de melhorias para o setor da pesca na região. À noite, Júnior Verde seguiu para Açailândia, onde percorreu povoados. 
Segundo o suplente de vereador Joilson Cardoso dos Santos, o povoado tem hoje uma população de cerca de 20 mil habitantes, conta com uma unidade de Saúde e nenhuma ambulância. “Diariamente precisamos desse transporte para levar pessoas que necessitam de atendimento médico”, relatou.

Já a diretora do Colégio Estadual Darci Ribeiro, que atende 283 estudantes de ensino médio, revelou que os alunos estudam em condições precárias em um prédio alugado da prefeitura há oito anos. “Não temos mais a quem recorrer. Esperamos que o deputado consiga interceder por nós”, comentou.

O deputado garantiu que providenciará as Indicações assim que as atividades parlamentares foram retomadas. “Me empenharei para conseguir levar esses importantes benefícios aos moradores do Novo Bacabal. É um povoado que tenho muito a agradecer, e farei esse agradecimento com trabalho”,  Júnior Verde.

Reforma e ampliação – Fruto de mais uma demanda apresentada durante as reuniões políticas, Júnior Verde também apresentará Indicação solicitando reforma e ampliação do Centro de Ensino Maria Isabel Rodrigues Cafeteira, no bairro Jacu. “O prédio atende a mais de mil alunos nos três turnos e se encontra com as redes elétrica e hidráulica em péssimas condições, representando até um risco para os estudantes”, denunciou a professora Ângela Maria Viana Soares. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz