quarta-feira, 6 de maio de 2015

PROPINAÇO: Vice-prefeito Juscelino Oliveira pode ter intermediado propina paga por Aciaria a vereadores de Açailândia



A denúncia de pagamento de propina a vereadores do Município de Açailândia para aprovação de Projeto de Lei que fixou isenção ou redução de impostos para empresa Aciaria Aço Verde, instalada na cidade do ferro, foi feita à titular da 1ª PJ/Açai, Glauce Mara Lima Malheiros, em 23 de maio de 2014, na sede da 1ª Promotoria de Justiça de Açailândia/Ma, pelo Sr. Adriano Sousa da Rocha, quando então foi aberto um Procedimento Administrativo nº 01/2014 – 1ª PJ/AÇAI, instaurado para apurar as denúncias.

A denúncia veio a público em uma entrevista coletiva bombástica concedida pela prefeita de Açailândia Gleide Lima Santos (PMDB), quando citou os nomes de todos os vereadores acusados de ter recebido propina para aprovação de PL. O caso está sendo investigado pelo Ministério Público do Município que afirma já ter ouvido algumas testemunhas, mas nenhum resultado ainda foi apresentado à sociedade, mas com a aparição desse fato novo em que envolve a pessoa do vice-prefeito de Açailândia Juscelino Oliveira no PROPINAÇO de Açailândia, espera-se uma ação mais efetiva do MP.
Participação do vice-prefeito

Conhecido pelas artimanhas, perseguições e cassação de prefeito (ex-aliado) e fama de ações políticas e empresariais nada ortodoxas, o vice-prefeito de Açailândia Juscelino Oliveira teria sido o mentor da articulação e pagamento da propina a alguns vereadores de Açailândia.

Informações de fontes confiáveis afirmam que Juscelino Oliveira teria sido procurado por um representante da Aciaria Aço Verde e oferecido a quantia de 100 mil reais para que o mesmo negociasse com os vereadores a aprovação urgente do Projeto de Lei. Juscelino seria a peça chave por já ter sido vereador de Açailândia e ser conhecedor de algumas práticas obscuras dos corredores da Câmara de Açailândia.

Juscelino imediatamente teria reunido os vereadores passíveis da aceitação da propina, e, não deu outra, aceitaram o pagamento. Antes da proposta feita pelo vice-prefeito esses mesmos vereadores estavam debruçados sobre o Projeto de Lei e se negavam a aprovar a isenção ou redução de impostos para o funcionamento da Aciaria em Açailândia.

O pagamento efetuado pelo vice-prefeito aconteceria em duas parcelas de R$ 5.000,00 para cada vereador, no entanto, como o escândalo veio à tona, somente uma parcela foi paga em cheques emitidos por uma empresa com ligações íntimas e comerciais com Juscelino Oliveira, Construtora Mecamóvel.

A referida empresa foi a responsável pela construção de 230 casas populares do Programa Minha Casa Minha Vida, obra que segundo o próprio vice-prefeito, quando ainda era vereador, teria conseguido trazer para o Município de Açailândia, inclusive participou em rede nacional de televisão da assinatura desse convênio – O empreendimento hoje construído leva o nome do vice-prefeito (Residencial Juscelino Oliveira). Outras obras também teriam sido realizadas pela mesma empresa na cidade de Açailândia e cidades 
circunvizinhas em uma espécie de sociedade com Juscelino Oliveira.

Vida política de  Juscelino

Juscelino iniciou sua carreira política a partir da criação de um grupo intitulado “A força do Progresso” que tinha como líder o ex-prefeito e ex-deputado estadual Deusdete Sampaio. Juscelino apareceu como criador do grupo, no entanto, traiu esse mesmo grupo e foi um dos grandes responsáveis pela cassação do amigo e correligionário Deusdete Sampaio.
O atual vice-prefeito foi ainda secretário no mandato tampão, em 2013, da atual prefeita de Açailândia Gleide Lima Santos, mas foi demitido do cargo por suspeitas de conspirar para o afastamento da própria Gleide, o que acabou acontecendo meses depois.

No mandato de 08 anos consecutivos do ex-prefeito Ildemar Gonçalves, o atual vice-prefeito de Açailândia, Juscelino Oliveira, mesmo já tendo a fama de traidor eleitoral e de “Cassador de Prefeito”, foi assessor especial de Ildemarzão. E como aconteceu com os outros prefeitos anteriores, Juscelino traiu Ildemar e virou oposição ferrenha, mas não conseguiu derrubar a velha raposa. Como opositor de Ildemar conseguiu se eleger vereador e, por conseguinte, candidatou-se a deputado estadual, mas não logrou êxito.
Veio então a eleição da atual prefeita Gleide Santos, e, estava lá novamente Juscelino Oliveira. E não é que o menino danado em meio à criação do famoso grupão conseguiu a vaga de vice-prefeito.

O que a população de Açailândia não tomou conhecimento é que o famoso grupão que indicou Juscelino como vice de Gleide Santos, foi criado com um único propósito: usar o prestígio de Gleide junto à população; vencer a eleição de Ildemar; e aproveitar as pendências jurídicas de Gleide existentes há época para derrubar a prefeita eleita, e Juscelino cheio de acordos “traquinos” com o grupão, seria então o prefeito de Açailândia.
Como a armação não funcionou, o grupão se esfacelou no primeiro mês do mandato da atual prefeita, e Juscelino rompeu imediatamente com Gleide passando a articular via câmara o afastamento da gestora pública do Município. Pelo menos três comissões processantes montadas com aval de Juscelino já foram criadas contra Gleide Santos na câmara, duas já foram arquivadas por falta de provas. A última em andamento deverá tomar o mesmo caminho.


Com o discurso chulo, mesquinho e sem apresentar nenhuma proposta á população de Açailândia, Juscelino candidatou-se mais uma vez a deputado estadual no ano passado. O mote de campanha usado pelo candidato acreditem, inclusive com discursos em carros de sons, é de que se fosse vencedor, no outro dia cassaria a prefeita de Açailândia. Não deu outra, com votação pífia mais uma vez foi derrotado nas urnas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz