terça-feira, 19 de maio de 2015

Deputados recebem prefeitos do Consórcio de Municípios da Estrada de Carajás


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Humberto Coutinho (PDT), recebeu na manhã desta terça-feira (19), a visita de uma comitiva de prefeitos que integram o Comefc (Consórcio dos Municípios da Estrada de Ferro Carajás no Maranhão).

Durante a reunião, os prefeitos informaram que o Comefc é formado por 23 municípios maranhenses sob influência da Estrada de Ferro Carajás que, juntos, têm em seus territórios cerca de 76% de toda a malha ferroviária da Vale em nosso Estado.

O prefeito de Monção, João de Fátima Pereira Queiroz, presidente do Comefc, explicou que este consórcio nasceu com o propósito de “alavancar o crescimento de uma região que há décadas esquecida e que, durante mais de 30 anos, vê o seu povo sofrendo com a riqueza passando em suas portas; deixando apenas um rastro de incertezas, impactos socioeconômicos e ambientais”.

Depois de fazer um relato sobre as lutas empreendidas pelo Comefc, o prefeito Queiroz, falando em nome dos demais prefeitos, pediu que seja melhor avaliado o teor do Projeto de Lei de autoria do deputado Max Barros (PMDB), em tramitação na Assembleia Legislativa, que institui a Taxa de Controle, Monitoramento e Fiscalização das atividades de transporte, manuseio, armazenagem e aproveitamento de recursos minerários (TFRM) no âmbito do Estado do Maranhão.

Também participaram da reunião os prefeitos de Anajatuba (Helder Lopes Aragão), de Bom Jesus das Selvas (Cristiane Damião), de Itinga (Vete Botelho), de Santa Rita (Tim Ribeiro) e de Vila Nova dos Martírios (Karla Batista); e os técnicos Leôncio Lima, diretor administrativo, e Dilton Carvalho, diretor administrativo e financeiro do Comefc.

O encontro contou ainda com a presença dos deputados Zé Inácio (PT), Eduardo Braide (PMN), Glalbert Cutrim (PRB), Fábio Braga (PTdoB), Adriano Sarney (PV), Ricardo Rios (PEN) e Vinícius Louro (PR).

Os prefeitos manifestaram preocupação com o projeto do deputado Max Barros, receosos de que a aprovação da matéria na Assembleia possa vir a causar prejuízos para os municípios maranhenses do corredor da Estrada de Ferro Carajás.

O deputado Eduardo Braide (PMN), na condição de líder do Bloco Parlamentar Unidos pelo Maranhão, informou que já existe um acordo para que o projeto do deputado Max Barros não seja votado em regime de urgência no Plenário da Assembleia Legislativa.

Ao final da reunião, o deputado Humberto Coutinho tranquilizou os prefeitos, informando-lhes que a Assembleia Legislativa, antes de pôr em votação o Projeto de Lei de autoria do deputado Max Barros, irá aguardar a votação, no Congresso Nacional, do Projeto de Lei que institui a Cfem (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais).





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz