sexta-feira, 20 de março de 2015

Diretor da Assembleia rebate denúncia e diz que tomará medidas judiciais cabíveis


O diretor de Comunicação da Assembleia Legislativa, Carlos Alberto Ferreira, ingressará na Justiça, nas próximas horas, contra uma notícia, que foi, maldosamente, requentada por um blog sobre um indiciamento antigo de 1991 em São Paulo. Ele esclarece que foi, totalmente, inocentado no inquérito por falta de provas, há 24 anos, e que não se submeterá a chantagens de quem quer que seja.
Há alguns dias, tem-se notado a presença de um grupinho, envolvendo pseudoblogueiros, requentando matérias antigas de inquéritos que não mais existem, para, assim, tentar achacar e chantagear políticos e diretores alvos em São Luís.
Na nota de esclarecimento, Carlos Alberto disse que não sabe os “objetivos” dos autores da postagem requentada e maldosa e avisou que não se curvará ao achaque de blogueiros ou veículos desta natureza, que sobrevivem de fazer chantagens.
“Não sei o objetivo de tais denúncias, mas antecipo que não me curvarei às chantagens de qualquer natureza, sejam pessoais, de blogueiros ou meios de comunicação atingidos pelas medidas que estou implantando na Diretoria de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão”, alertou Carlos Alberto. Segue a íntegra da nota de esclarecimento.
NOTA DE ESCLARECIMENTO 
Em relação à “denúncia”, requentada e veiculada por um blog, sobre meu indiciamento em 1991, quando fui diretor da maior companhia de transporte coletivo do mundo – a CMTC – por formação de quadrilha e outros crimes, tenho a esclarecer que:
1 – Fui completamente inocentado de todas as acusações, por ausência total de provas, pela Justiça de São Paulo, da denúncia apresentada pelo Ministério Público – 24 anos atrás – em todas as instâncias judiciais onde tramitou o processo – transitado em julgado há mais de quatorze anos. Rezam nossas leis, que uma pessoa inocentada na justiça, em qualquer processo, está isenta da acusação originária.
2 –  Justiça seja feita, todos os demais denunciados também foram inocentados por absoluta falta de provas.
3 – Não respondo a nenhum processo cível, criminal ou trabalhista, seja em São Paulo – onde morei, trabalhei e estudei por 25 anos –  ou no Maranhão, onde moro desde 1994. Para tanto, disponibilizo certidões negativas de todas as esferas da justiça – estadual e federal – nestes dois estados ou qualquer outro.
4 – Não sei o objetivo de tais “denúncias”, mas antecipo que não me curvarei às chantagens de qualquer natureza, sejam pessoais, de blogueiros ou meios de comunicação atingidos pelas medidas que estou implantando na Diretoria de Comunicação da Assembleia Legislativa do Maranhão.
5 – Faço esta nota em respeito aos meus familiares, amigos e aos deputados e deputadas que me ligaram solidarizando contra esta tentativa de achaque – travestido de “notícia” – e informo que encerro aqui todo esclarecimento e não responderei a mais nenhuma nota ou post desta natureza que porventura publiquem de novo.
6 – A despeito deste esclarecimento, tomarei as medidas judiciais cabíveis.
São Luís, 19 de março de 2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz