quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Eliziane solicita inspeção para verificar se há corpos de detentos enterrados em Pedrinhas


São Luis - A deputada Eliziane Gama (PPS) informou na manhã desta quarta-feira, dia 22 de outubro que encaminhará solicitação ao Governo do Estado pedindo inspeção na área do Complexo  Penitenciário de Pedrinhas para verificar se há corpos de detentos enterrados no local.

De acordo com a parlamentar, a justificativa para o pedido é a denúncia de desaparecimento de detentos dentro da penitenciária e que ainda não foram elucidados.

“Encaminharemos o requerimento, à Secretaria de Segurança Pública, especificamente, ao serviço de criminalística, no sentido de fazer uma busca a restos cadavéricos dentro da Penitenciária de Pedrinhas. Inclusive, o jornalista Aldir Dantas, teve uma de suas matérias destacadas nacionalmente, por conta dessas denúncias que nós já trouxemos aqui várias vezes até a Assembleia de desaparecimento de detentos”, destacou.

Eliziane lembrou a ocorrência de desaparecimento de detentos dentro da Penitenciária, como o caso do detento Ronalton Silva Rabelo, que ocorreu há mais de um ano e que até agora a família aguarda informações sobre o que realmente teria acontecido. 

 “Temos esta situação no Maranhão que é uma é inadmissível na política de Direitos Humanos do Brasil, que é o sumiço de detentos dentro do sistema prisional. Há uma família que vem na Assembleia Legislativa periodicamente na tentativa de saber o que foi que aconteceu com o seu parente, se morreu ou fugiu”, lamentou.

A parlamentar também citou ocaso ocorrido em agosto, em que o corpo de detento Rafael Alberto Libório Gomes, 23 anos foi encontrado em pedaços dentro de um saco plástico, enterrado em uma das áreas de carceragem da Penitenciária de Pedrinhas.

Na tribuna a deputada destacou a dificuldade de obter números reais sobre a quantidade de mortes dentro do sistema prisional maranhense.

“Precisamos realizar busca dentro do sistema prisional, porque não se sabe quantos corpos poderão ser encontrados dentro da penitenciária, ou nos seus arredores por conta de fugas e de mortes, que a gente não tem efetivamente os números”, ressaltou.

Ela finalizou o discurso pedindo a sensibilidade dos órgãos competentes para que haja respostas às famílias destes detentos. “Estou encaminhando esse requerimento e espero que venhamos a ter uma resposta da Segurança Pública do Estado, que é o órgão que hoje aglutina também a perícia, o serviço do Instituto Médico Legal, aqui do Maranhão”, concluiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz