quarta-feira, 4 de setembro de 2013

AL homenageia 40 anos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária


A Assembléia Legislativa recebeu nesta quata-feira (4) diretores e funcionário da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embapa), homenageada na passagem de seus 40 anos no Brasil. A solenidade foi proposta pelos deputados Fábio Braga (PMDB) e Carlinhos Florêncio (PHS) e aprovada à unanimidade dos deputados estaduais maranhenses. No evento, o diretor executivo de Transferência de Tecnologia da Embrapa, Waldyr Strumpf Júnior, representou o presidente da empresa, Maurício Antônio Lopes que cumpre agenda de trabalho no exterior.

O deputado Fábio Braga cumprimentou todos os servidores e diretores saudando o papel transformador da realidade brasileira cumprido pela empresa nestes 40 anos. Destacou que temos hoje uma previsão populacional de 248 milhões de habitantes no país até o ano de 2040 e de 9 bilhões em todo o mundo até o ano de 2050, para dizer que o Brasil cumprirá cada vez mais o papel estratégico na produção de alimentos no mundo. “A fome pode ser a maior inimiga da humanidade”, refletiu.

Fábio Braga entende que foi graças também ao esforço da Embrapa que a estimativa do Brasil atingir uma safra de 185 milhões de toneladas de grãos até o ano de 2022 foi cumprida 10 anos antes. E revelou que o uso da ciência, da tecnologia e da inovação, da busca da quantidade com qualidade nos levou ao aumento de 48% da área plantada no Brasil, ou seja, a produção brasileira cresceu nada menos que 250%, o que a seu ver demonstra cristalinamente que o caminho a ser seguido é o caminho da inovação tecnológica.

O deputado Carlinhos Florêncio disse que a Embrapa é motivo de orgulho para todos nós, brasileiros e maranhenses, pelo trabalho que desenvolve no âmbito da pesquisa agropecuária. Foi a Embrapa, segundo o parlamentar, que tornou o setor do agronegócio, na atualidade, o mais importante componente do Produto Interno Bruto do Brasil, que apresenta superávit ano a ano.

Para Carlinhos Florêncio, deve-se ao trabalho realizado pela Embrapa ao longo desses 40 anos o Brasil ser considerado hoje, no cenário internacional, um país emergente. Disse também que a Embrapa é a empresa pública brasileira mais premiada de todos os tempos, recebendo prêmios e honrarias nacionais e internacionais.

O parlamentar aproveitou para reiterar um pedido feito no sentido de que a governadora do estado e a direção da Embrapa agilizem a construção da unidade da Embrapa no Maranhão.

O diretor executivo da Embrapa, Waldyr Strumpf Júnior disse que sendo homenageada pela Assembléia a Embrapa se sente homenageada por todo povo do Maranhão. Embora considerando 40 anos um tempo curto na vida de uma empresa, Wadyr Strumpf afirmou que a Embrapa vem se recriando e revitalizando no correr desse tempo e informou que hoje está presente em todo o território nacional e em todos os continentes com ações de pesquisa e cooperação técnica. “Estamos levando tecnologia tropical para o mundo”, orgulhou-se.

Waldyr Strumpf fez questão de homenagear os pesquisadores, analistas, assistentes e, de forma especial, os parceiros da Embrapa entre os quais inclui as universidades, o Poder Executivo e o Poder Legislativo nos Estados. Para ele, o desenvolvimento da Embrapa está centrado em três pilares, a saber: conhecimento e formação de pessoal no Brasil e no exterior, através de um processo permanente de renovação de quadros; Infraestrutura, pois a Embrapa dispõe hoje de 150 campos experimentais e cerca de 300 laboratórios e as parcerias que alcançam, a seu dizer, todas as agriculturas no país e fora dele.

O diretor executivo disse ainda que a Embrapa criou um bom problema para o Brasil, com o aumento da produção que não foi acompanhada no mesmo ritmo pela capacidade de armazenamento e se ressente também da ausência de estradas, caminhões, navios, portos etc.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Arnaldo Melo (PMDB), finalizou as homenagens à Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, comemorando o fato da bandeira do Brasil, através da Embrapa, estar sendo hasteada em outros continentes. Segundo Arnaldo Melo sempre foi desejo de todos os governos maranhenses trazerem o escritório da Embrapa para o Maranhão. O presidente enumerou fatores positivos do Maranhão para a pesquisa como a extensão territorial e as 12 bacias hidrográficas existentes no Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz