quinta-feira, 18 de julho de 2013

Beto Castro tentou, mas não deu…

A tentativa do vereador Beto Castro (PRTB) de impedir que a Polícia Federal realize perícia grafotécnica em documentos foi frustrada pelo juiz eleitoral Sérgio Muniz, do Tribunal Regional Eleitoral.
Supostamente os documentos são assinados pelo parlamentar e comprovam sua dupla identidade. Motivo pelo qual a juíza Luzia Madeiro Nepomucena, titular da 3ª Zona Eleitoral da capital, solicitou os exames.
Luzia também está com responsabilidade sobre o julgamento de ação de impugnação do mandato de Castro proposta pelo suplente Paulo Roberto Pinto Lima, o Carioca (PRTB).
O pedido de suspensão foi feito pelo vereador com a alegação de que “até que seja aberta às partes a oportunidade de formular quesitos, indicar assistente técnico e serem intimadas para a realização de perícia”.
Mas o juiz Sérgio Muniz manteve a realização da perícia:
Processo contra Beto Castro é o pomo da discórdia
Não pode o magistrado, no exercício da função jurisdicional, ver-se tolhido do comando da marcha processual e da direção instrutória do processo. Assim, quando os fatos não lhe parecerem suficientemente esclarecidos, [...] tem o juiz o poder de determinar a prova de ofício, independentemente de requerimento da parte – relatou.
No final das contas, a tentativa de suspender os exames só deixa Werbeth Machado Castro ou Werbeth Macedo Castro com mais cara de culpado ainda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz