quarta-feira, 12 de junho de 2013

Deputados celebram Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita


Os deputados Eduardo Braide (PMN), Vianey Bringel (PMDB), Bira do Pindaré (PT) e Eliziane Gama (PPS) destacaram, na sessão desta quarta-feira (12), o transcurso do Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita, comemorado neste 12 de junho em diversos Estados da Federação.

A deputada Vianey Bringel afirmou que é de suma importância a celebração desta data, explicando que cardiopatia congênita é qualquer anormalidade na estrutura ou função do coração que surge nas primeiras oito semanas de gestação, quando se forma o coração do bebê. Trata-se da má-formação congênita mais comum e uma das principais causas de óbitos em recém-nascidos.

Para Vianey Bringel, a mortalidade decorrente das cardiopatias congênitas seria drasticamente reduzida se todos os cuidados pré e pós natais fossem devidamente instituídos no país. Segundo ela, é comum que doenças graves sejam assintomáticas nos primeiros dias de vida. “Em razão da precariedade, tanto do SUS como dos profissionais, essas crianças ficam sem atendimento necessário. E essa data foi instituída graças a uma associação que existe de pais de portadores de cardiopatia congênita. Essas cardiopatias são doenças que podem ser detectadas precocemente, mas que a intervenção não está ao alcance de todas as famílias”, declarou Vianey Bringel.

O deputado Eduardo Braide frisou a dificuldade de conseguir uma cirurgia cardíaca principalmente em recém-nascidos. “Muitos dos nossos irmãos acabam falecendo por conta da falta de assistência seja pelo Sistema Único de Saúde, seja até pelo particular pela dificuldade que é a realização de uma cirurgia desse porte”, lembrou Braide.

O deputado Bira do Pindaré afirmou que pretende apresentar um projeto que cria o Dia Estadual de Conscientização da Cardiopatia Congênita: “Eu inclusive vi de perto casos de pessoas muito próximas a mim que tiveram situações, enfrentaram situações como essas, perderam o bebê em razão da falta de oportunidade de tratamento, de ter antecipado ao diagnostico, poderia ser diagnosticado com antecedência e certamente poderia ter sido evitado uma morte de uma criança que tinha tudo para ser o motivo de grande felicidade para aquela família que a esperava.

Mas infelizmente, muitas pessoas já foram vítimas disso; aqui no Maranhão”, argumentou Bela do Pindaré. A deputada Eliziane Gama fez questão de cumprimentar todos os parlamentares que, durante a sessão, fizeram uma reflexão sobre o problema da cardiopatia genética. “Faço um destaque, que na verdade é uma preocupação, referente aos profissionais especializados para esse tipo de tratamento no Maranhão, a quantidade é extremamente irrisória do ponto de vista do quantitativo para atendimento das crianças no Estado do Maranhão, e isto acaba na verdade ocasionando uma demora, e pouca efetividade no tratamento em relação a essas crianças”, afirmou Eliziane Gama em seu pronunciamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz