terça-feira, 7 de maio de 2013

CPI da Mulher irá realizar visita a órgãos de atendimento em Imperatriz


Foto Materia

Integrantes da CPI da Mulher, reunidas na manhã desta terça-feira (7), decidiram que será realizada, nos próximos dias 23 e 24 de maio, uma agenda de visitas a órgãos de atendimento à mulher em Imperatriz, município localizado no sudoeste do Maranhão.

“Esta viagem à região tocantina será da maior importância porque poderemos visitar diversos órgãos da rede de atendimento à mulher, e poderemos averiguar in loco diversas denúncias que estão chegando a esta Casa”, afirmou a presidente da CPI da Mulher, deputada Francisca Primo (PT).

Ela informou que os membros da CPI visitarão em Imperatriz diversos órgãos, entre os quais a Delegacia da Mulher, a Casa Abrigo, a sede do Ministério Público, o Instituto Médico Legal e outras repartições públicas.

Ao abrir a reunião desta terça-feira, que também teve a presença das deputadas Cleide Coutinho (PSB) e Gardênia Castelo (PSDB), a deputada Francisca Primo declarou que não faz sentido a notícia publicada em um órgão da imprensa, dando conta de que estaria sendo cogitada a idéia de arquivamento da CPI da Mulher.

“Está descartada a idéia de arquivamento desta CPI. Vamos continuar trabalhando até o fim, e nossa agenda vai prosseguir com um trabalho pautado no modelo da CPI Mista da Mulher que funciona hoje no Congresso Nacional”, salientou a deputada Francisca Primo.

Ela observou que é cada vez mais crescente o volume de denúncias formuladas à CPI, oriundos de diversas cidades do interior maranhense: “Vamos avaliar, inclusive, a sugestão de fazer visitas a municípios de outras regiões do nosso Estado”, informou a presidente da CPI da Mulher.

A deputada Francisca Primo disse que ainda não há definição de oitivas com acusados de violência de gênero no Maranhão, mas lembrou que, para avaliar a problemática da violência contra a mulher e as dificuldades encontradas pelos órgãos de proteção, a CPI já realizou reuniões com a presença de representantes do Fórum Maranhense, da Delegacia Especial da Mulher em São Luís, do Conselho Estadual da Mulher, da Secretaria de Estado da Mulher, da Coordenadoria Municipal das Políticas Públicas para as Mulheres de São Luís e Defensoria Geral do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz