terça-feira, 21 de maio de 2013

Cleide Coutinho defende investimentos do governo para a classe médica


Foto Materia

A deputada Cleide Coutinho (PSB) ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (21), para defender mais incentivos financeiros do Governo do Estado para os médicos que trabalham nos hospitais públicos estaduais no interior do Maranhão, antes de trazer médicos de outros países e esclareceu que não tem nada contra a contratação de médicos estrangeiros para trabalhar em todo Brasil, contanto que façam o exame Revalida (exame de revalidação do diploma)

A parlamentar admitiu que os médicos cubanos realmente são excelentes, mas a especialidade deles é mais na área da saúde pública, enquanto  que nossa população precisa também de clínicos que atendam ações de urgência e emergência.

Para deputada, o Governo do Estado sabe que temos médicos suficientes para atender a população, mas a maioria deles está trabalhando na capital e mesmo assim, o governo continua a construir pequenos hospitais de 20 leitos, sem resolutividade, e que não podem nem fazer contratos com o Sistema Único de Saúde (SUS).

Mostrou a veracidade do que estava falando quando citou a Consulta Pública do Ministro da Saúde Alexandre Padilha, que por sinal já foi aprovada e que será publicada no Diário Oficial da União, cujo teor deixa claro que “fica vedado o credenciamento pelo SUS de novos hospitais com menos de 50 leitos, a exceção de hospitais especializados em pediatria e maternidade, que podem contar com até 40 leitos, em todo território nacional”.

De acordo com Cleide, o Estado do Maranhão está cheio de hospitais com 20 leitos e sem médicos suficientes para atender a população, a exemplo das Casas de Saúde localizadas nos municípios da região Leste do Estado, como São João do Sóter, Aldeias altas e outros mais que ela ainda não visitou.

INCENTIVOS AOS MÉDICOS

No pronunciamento, Cleide lamentou que o Governo do Estado não invista em políticas para implantar nossos médicos nos hospitais públicos no interior do Maranhão e nunca repassou a contrapartida. “Bastava conceder os 10%, que é um direito constitucional, para que cada prefeito aumentasse os recursos recebidos do PSF e pudesse colocar médicos nas suas respectivas cidades”.

Na avaliação da deputada, o governo gastará uma quantia imensa de recursos para contratar os médicos estrangeiros. “Porque não gastar esse recurso com nossos colegas maranhenses?” questiona Cleide Coutinho, lamentando que hoje  o Maranhão amarga a pior proporção de médico por paciente do Brasil (0,5%).

“Temos médicos para trabalhar no interior, mas é preciso a implantação de uma política que dê a eles condições de trabalho, digna remuneração e plano de carreira. Ao invés de construir hospitais sem médicos, o governo deveria fazer o inverso. Que venham nossos colegas e que sejam preparados, porque quando vamos para o exterior, somos submetidos a uma série de requisitos”, comentou.

A parlamentar afirmou que só existem 37,4% dos médicos com especialização. Segundo ela, Caxias recebe em três hospitais municipais, demandas de mais de 30 cidades sem especialistas, mas não recebe nenhuma ajuda do Governo do Estado e isso desde que a governadora assumiu. “Enquanto isso, municípios menores e com apenas um hospital como é o caso de Coroatá recebe R$ 5 milhões”, lamenta.

Concluindo a deputada falou que o povo continua enfrentando dificuldades por falta de médico nas suas cidades e que ao invés de somente ser construídos hospitais de 20 leitos, também o governo olhasse para a classe médica que existe no maranhão que é capaz, é competente e só precisa de condições adequadas de trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário

Diniz